Notícias sobre Indaiatuba e Região com Kleber Patricio

Inscreva seu e-mail e participe de nossa Newsletter para receber todas as novidades

Projeto “Pelo Telefone” acontece em Salto na próxima quarta-feira (16)

Salto, por Kleber Patricio

Divulgação.

Derico Sciotti, o saxofonista do Programa do Jô e o grupo Pelo Telephone fazem mais uma apresentação do projeto Pelo Telefone, levando chorinho e história da música brasileira de volta para Salto. A apresentação acontece no dia 16 de agosto, às 20h, na Sala Palma de Ouro.

O projeto Pelo Telefone vai encantar o público em 12 apresentações do Derico e do grupo em diversas cidades do interior de São Paulo, apresentando clássicos do chorinho com arranjos especiais que são trabalhados para formação de dois violões, cavaco, bandolim, flauta e percussão.

No repertório da apresentação, o choro e o MPB Instrumental são os protagonistas em canções de grandes compositores, como Pixinguinha, Cartola, Durval Ferreira, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth e Calado, entre outros. Durante o show, o grupo ainda vai divertir a plateia contextualizando cada uma das canções apresentadas e contando sua história e criação, além de entreter o público com a história do samba no Brasil, que passeia por esses clássicos e tem como origem a música Pelo Telefone, homenageada também pelo projeto. “[a história do samba] se inicia com o primeiro samba gravado no Brasil, quando o compositor Donga, em 1916, gravou Pelo Telefone e iniciou um a história muito rica em nossa cultura”, contou Derico.

O projeto é uma iniciativa da Derico Produções, realizada pelo Governo do Estado de São Paulo a partir de recursos do ProAC (Programa de Ação Cultural) com apoio da Prefeitura Municipal de Salto. O patrocínio é da Emicol.

Serviço:

O show acontece na quarta-feira, 16 de agosto, às 20h, na Sala Palma de Ouro (Rua Prudente de Moraes, 580). A entrada é gratuita.

Peça fala sobre respeito às diferenças para crianças e alunos de escolas públicas

Campinas, por Kleber Patricio

Divulgação.

Alunos de escolas municipais e estaduais de Campinas e Sumaré assistem, em agosto, a apresentação de uma trupe divertida e cheia de histórias interessantes que fala sobre temas importantes como o respeito às diferenças e a inclusão social. O espetáculo Cada um é Um, da Cia. de Teatro Mundo da Lua, faz parte do projeto Viva a Diferença – 2ª edição, realizado via ProAC com produção da Direção Cultura, consultoria de Campinas que há 17 anos atua na disseminação da arte e cultura. Em Campinas, a peça será apresentada no Centro Cultural Maria Monteiro para os alunos e também para o público em geral, de forma gratuita, no dia 16 de agosto.

Com recursos musicais, de mímica, clown e bonecos, a peça, dirigida a crianças de cinco a 10 anos, é composta de vários quadros interpretados por três atores músicos que falam de assuntos sérios por meio de brincadeiras. Sob direção de Ana Caldas Lewinsohn, o espetáculo diverte, mas também leva a reflexões sobre o respeito e a aceitação do outro e sobre a existência das diversas singularidades. A combinação garante uma plateia atenta e participativa. “As crianças entendem bem a mensagem do espetáculo, que traz o tema de forma muito sutil e lúdica. A gente fala das diferenças entre as coisas, as pessoas, as cores com muita simplicidade e leveza. Para as crianças é uma experiência muito divertida”, ressalta Valdo Matos, fundador do grupo Mundo da Lua Teatro e ator da peça.

No mês de junho, mais de mil crianças aprenderam e se divertiram com as apresentações em escolas e espaços culturais de Hortolândia, Sumaré e Campinas. A iniciativa conta com o patrocínio de Villares Metals e Buckman via ProAC (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo.

Cia. No Mundo da Lua

Fundado em 1992 por Valdo Matos e Renata Mucci, o grupo se destacou no aprimoramento do trabalho de ator como veículo fundamental de expressão teatral. Esse caráter singular de interesse pelo desenvolvimento técnico e artístico do grupo estendeu-se para as áreas de teatro de animação, a improvisação e as linguagens e técnicas do clown. A trupe já se apresentou por todo Brasil e na Espanha.

Direção Cultura

Há 17 anos, a Direção Cultura presta consultoria e desenvolve projetos culturais, sociais e esportivos em parceria com empresas, artistas, ONGs e órgãos públicos. Aliados a ações de responsabilidade social, educação, meio ambiente e cidadania, nossos projetos alcançam diversos públicos e promovem o desenvolvimento com resultados efetivos e transparentes.

Ficha Técnica

Atores: Valdo Matos, Renata Mucci e Adriel Job

Direção: Ana Caldas Lewinsohn

Cenários: Grupo Garrucha

Figurinos: Amarilis Arruda e Flavia Arruda

Técnico de som e iluminação: Gilberto Gatti.

Serviço:

Campinas

16/08 – Centro Cultural Maria Monteiro – Vila Padre Anchieta

Apresentações às 9h e 14h – gratuitas e abertas ao público

Sumaré

15/08 – E.E. Profª Ondina Pinto Gonzalez

Apresentações às 13h30 e 15h30

18/08 – E.M. Jardim Maria Antônia

Apresentações às 10h e 13h30 (as sessões em Sumaré são exclusivas para os alunos das escolas públicas).

Sorocaba recebe show em homenagem a Chiquinha Gonzaga na segunda-feira (14)

Sorocaba, por Kleber Patricio

A percussionista Adriana Laranjeira. Foto: divulgação.

Nesta segunda-feira (14), Sorocaba recebe uma homenagem especial à compositora Chiquinha Gonzaga, em uma apresentação da percussionista Adriana Laranjeira e grupo musical. Dessa vez o show acontece Teatro Municipal Teotônio Vilela, às 20h. A apresentação faz parte do projeto Chiquinha Gonzaga e tem entrada gratuita e livre para todos os públicos.

Francisca Edwiges Neves Gonzaga, mais conhecida como Chiquinha Gonzaga, foi a maior personalidade feminina da história da Música Popular Brasileira. Compositora, instrumentista e regente, Chiquinha promoveu a nacionalização musical, ajudou a introduzir a MPB nos grandes salões do século XIX e fundou a primeira sociedade protetora dos direitos autorais, além de ser a primeira pianista de choro e autora da primeira marcha carnavalesca brasileira, a canção Ó Abre Alas.

Chiquinha Gonzaga. Foto: Wikipedia.

Através de sua trajetória de vida, lutas e superações, a musicista teve um papel importantíssimo na luta pela igualdade de direitos no Brasil. Dessa maneira, o projeto Chiquinha Gonzaga busca apresentar a obra desta grande personalidade de maneira diferente da convencional, resgatando as melodias dessa época, quando houve grande ascensão da mulher na sociedade e no âmbito musical nacional.

O show será apresentado por Adriana Laranjeira e um grupo musical constituído predominantemente por mulheres, que levarão o público em uma viagem interessante e inusitada pelo universo sonoro da musicista, que vai de 1877 a meados de 1930. O grupo é composto pelos instrumentos oboé, clarinete, fagote, violão e percussão, tocados com destreza e sofisticação pelas instrumentistas.

O intuito do projeto Chiquinha Gonzaga é possibilitar aos públicos das cidades do interior de São Paulo o acesso gratuito aos bens culturais, valorizando sua produção e o entendimento de sua significância para as produções contemporâneas. O projeto é destinado ao público sem restrições, uma vez que os ritmos apresentados – tango brasileiro, polca, modinha valsa, mazurca e schottisch – proporcionam momentos agradáveis de encontro do homem e da arte.

Essa apresentação é realizada pelo Governo do Estado de São Paulo a partir de recursos do Programa de Ação Cultural (ProAC), com apoio da Prefeitura de Sorocaba e produção da 3S Projetos. O patrocínio é da Grace Brasil.

Serviço:

O show em homenagem a Chiquinha Gonzaga acontece na segunda-feira (14), às 20h, no Teatro Municipal Teotônio Vilela (Avenida Eng. Carlos Reinaldo Mendes, s/nº, Alto da Boa Vista). A entrada é gratuita.

Especialista brasileira em fotos de recém-nascidos ministra workshop em São Paulo

São Paulo, por Kleber Patricio

O tempo que uma criança fica em uma pose nunca é muito longo – valem a habilidade e rapidez do fotógrafo. Fotos: Simone Silvério.

Nos dias 19 e 20 de agosto, uma das maiores especialistas brasileiras em fotos de recém-nascidos, a fotógrafa Simone Silvério, reconhecida pela mídia como a Anne Geddes brasileira, promove os workshops Fotografia de recém-nascido e gestante em seu estúdio em Alto de Pinheiros, São Paulo.

De acordo com Simone, a arte em fotografar os recém-nascidos está no jeito de lidar com o bebê, no fazer dormir, em colocá-lo nas posições – sempre com muito carinho e paciência.

O fotógrafo deve conhecer cada fase do desenvolvimento dos bebês para posicionar, interagir e enquadrar.

“Um quesito muito importante é o conforto, a segurança do bebê que tem poucos dias de vida. É preciso estabelecer padrões de segurança para os ensaios; o fotógrafo precisa conhecer não só a técnica fotográfica, como também a anatomia e fisiologia do bebê”, explica Simone, que é presidente da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (Abfrn).

O melhor período para as fotos é entre cinco e 15 dias, explica a fotógrafa, pois os bebês dormem bastante e não sofrem com cólica. O estúdio é preparado para receber os pequenos modelos com som ambiente reproduzindo útero materno, a temperatura é controlada a 30 °C, iluminação sem flash e, principalmente, tudo sempre muito higienizado. Com tanta arte e técnica, o resultado é único e encanta a todos, tanto que as fotos profissionais de recém-nascidos viraram uma tendência no Brasil.

Simone Silvério

Simone Silvério é uma fotógrafa apaixonada pela maternidade e tudo que envolve esse universo. Mãe de quatro filhos, administradora de empresas com MBA pela FIA-USP, arquiteta formada pela FAU-USP e executiva com 15 anos de experiência no mercado financeiro internacional, deixou tudo para se tornar fotógrafa em tempo integral. É referência no mercado fotográfico nacional, comparada à fotografa australiana Anne Geddes, com quem fez, recentemente, um trabalho social no Brasil. Simone é membro e fotógrafa certificada pela Associação de Fotógrafos Profissionais Americanos (PPA), é membro da Associação Americana de Fotógrafos Infantis (Napcp) e presidente da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (Abfrn), além de ser uma das fundadoras. Também é autora de diversos cursos sobre fotografia de bebês.

Retornando à barriga materna: fotógrafa faz molde em gesso da barriga da mãe e depois utiliza nos ensaios.

Aprendeu a arte de newborn com as maiores mestras no assunto: Kelley Ryden e Tracy Raven (EUA), Amber Shereen (Canadá), Laura Brett (EUA).  Entre as centenas de ensaios no currículo, está o da lindinha Brenda, filha de Sheila Mello com o nadador Fernando Scherer.

Acabou de lançar o livro Fotografia de bebês: paixão e técnica, pela iPhoto Editora. Em quase 200 páginas, Simone ensina em detalhes todo o fluxo e técnicas para fazer a composição, iluminação e enquadramento das fotos.

Serviço:

Workshops de fotografia de recém-nascido e gestante com Simone Silvério

Datas: 19 e 20 de agosto de 2017

Horário: 9h às 18h

Local: Estúdio Simone Silvério – Av. Arruda Botelho, 684 sala 32 –   Alto de Pinheiros – São Paulo

Inscrições: https://www.workshopsimonesilverio.com/inscricoes

Informações: http://www.simonesilveriofotografia.com.br/.

Indaiatuba divulga artistas premiados no 3° Salão de Artes Visuais

Indaiatuba, por Kleber Patricio

Foto: Giuliano Miranda.

A Secretaria de Cultura de Indaiatuba realizou na noite de terça-feira (8), às 19h, no Centro de Convenções Aydil Bonachela, a abertura das exposições do Agosto das Artes (programação abaixo) e a divulgação dos artistas premiados no 3° Salão de Artes Visuais de Indaiatuba. Foram selecionados pelo júri, composto por Cesar Giobbi, Martinho Caires e Iracema Salgado, o total de 46 obras de 24 artistas nas categorias Fotografia, Desenho, Escultura, Experimental, Gravura, Instalação e Pintura. Todos os artistas selecionados receberam certificados e as premiações foram divididas em dois quesitos: geral e por categoria.

Para a categoria geral, o primeiro lugar, com premiação de R$3.000,00, foi para Ana Lopes Pellizari, com a obra Sagrado e Profano/Categoria Instalação. O segundo lugar, com a premiação de R$2.000,00, foi para Kenia Marli de Angeli, com a obra A Imagem que Falta/Categoria Instalação. O terceiro lugar, com premiação de R$1.000,00, foi para Beatriz Amaral, com a obra A culpa não é do vento se deixei a janela aberta/Categoria Experimental.

Também foram contemplados com medalhas os seguintes artistas e obras: Desenho, medalha de ouro para Bruno Gama, com a obra A Viagem; Pintura, medalha de ouro para Thiago Cesar, com a obra Rostos Camuflados e medalha de prata para Roberto Carlos Barbosa com a obra Retrato em Preto e Branco; Escultura, medalha de ouro para Aline Albert, com a obra Chá Com Tentáculos; Instalação, medalha de ouro para Anna Pelizari, com a obra Sagrado e Profano e medalha de prata para Kenia D’Angelo, com a obra A Imagem que Falta e medalha de bronze para Joana Calachi, com as obras Outras Joanas e Distância; Experimental, medalha de ouro para Beatriz Amaral, com a obra A Culpa não é do vento se deixei a janela aberta; Fotografia, medalha de ouro para Dina de Aquino, pelo conjunto de obras e medalha de prata para Luis Carlos Martinelli pelo conjunto de obras; Gravura, medalha de Ouro para Aline Albert, pela obra Caveirismo.

Durante o mês de agosto, a Prefeitura promoverá quatro exposições e duas oficinas. Os eventos são gratuitos e fazem parte do tradicional festival Agosto das Artes, realizado anualmente pela Secretaria de Cultura com o objetivo de incentivar o interesse da população pelas artes e suas manifestações. O público poderá conferir ao longo do mês uma série de atrações entre exposições, oficinas e exibições. Para mais informações, 3894-1867.

Programação das exposições

De 8 a 25: 3º Salão de Artes Visuais de Indaiatuba

O Salão de Artes Visuais e um projeto que integra o Agosto das Artes, tendo por finalidade divulgar e incentivar a produção dos artistas plásticos de Indaiatuba e região metropolitana de Campinas. Os artistas que estarão expondo foram classificados pela comissão de seleção formada por: Cesar Giobbi, Martinho Caires e Iracema Salgado.

Local: Centro de Convenções Aydil Bonachela

Rua das Primaveras, 210 – Jardim Pompeia

Horário: de 2ª a 6ª das 8h às 12h e das 13h às 17h

De 8 a 25: Foto Clube com o tema Resgatando a Cultura

A necessidade de conhecer e resgatar a nossa cultura levou os integrantes do Foto Clube a idealizar este tema, que visa valorizar as nossas raízes culturais manifestadas, por exemplo, nas músicas, danças, artesanatos e tradições, resgatando através de fotos o conhecimento cultural acerca dos nossos bens culturais.

O foco é fazer um retrato da cultura brasileira com ênfase na nossa cultura regional e a exposição tem a intenção de oferecer aos seus visitantes as melhores imagens de nossa cultura que têm um grande significado na história, mas que se encontram despercebidas pelos moradores. Registrar as lembranças e vivências ainda presentes na memória do nosso povo, reorganizando as tradições do nosso dia a dia, valorizando a cultura através de imagens fotográficas.

Local: Centro de Convenções Aydil Bonachela

Rua das Primaveras, 210 – Jardim Pompeia

Horário: de 2ª a 6ª das 8h às 12h e das 13h às 17h

De 8 a 25: Conectado sem esquecer o passado, de Alex Flávio Guimarães

O objetivo desta exposição é fomentar reflexões que muitas vezes são esquecidas, pois não estão no nosso cotidiano de forma explícita. A Funai afirma que “Os povos indígenas estão presentes nas cinco regiões do Brasil, sendo que a região Norte é aquela que concentra o maior número de indivíduos.”

Local: Centro de Convenções Aydil Bonachela

Rua das Primaveras, 210 – Jardim Pompeia

Horário: de 2ª a 6ª das 8h às 12h e das 13h às 17h

De 8 a 25: Casinhas do interior – a beleza na simplicidade

O grupo Fotografando Ideias, com o apoio da Secretaria de Cultura de Indaiatuba, convida para a exposição fotográfica Casinhas do Interior – a beleza na simplicidade. Trata-se do resultado de um trabalho coletivo onde os fotógrafos buscam fazer uma homenagem ao homem do campo com imagens que revelam personagens e áreas rurais de Indaiatuba e municípios vizinhos, resgatando lembranças das casinhas do interior que ainda existem nessas cidades.

Local: Museu da Água

Rua do Museu, 205 – Bairro Tombadouro

Horário: de 3ª a domingo das 9h às 16h

Programação das oficinas

Oficina de monotipia (curso de gravuras com aulas de desenho)

Com Airton Sobreira

Início 3 de agosto

Dias: 2ª e 5ª (12 encontros – início dia 5 de agosto)

Horário: das 19h às 21h

Local: Centro Cultural Wanderley Peres

Inscrições: pelo e-mail cultura@indaiatuba.sp.gov.br informando o nome, endereço completo, data de nascimento e RG.

(Vagas esgotadas) – Roteiro para Cinema (com ênfase na realização de filmes de celular)

Com Marcos Otero

Dia: sábados (12 encontros – início dia 5 de agosto)

Horário: 14h às 17h

Local: Centro Cultural Wanderley Peres

Mais que o objetivo de ensinar apenas o processo e as técnicas de feitura de um filme. A possibilidade de mostrar aos alunos os passos iniciais de uma carreira independente preocupando-se em “fazer mais com menos” para, assim, alçar (com confiança) planos maiores, sabendo exato o que se quer. Como aconteceu na oficina de 2016, será dada ênfase ao que o aluno tem em mãos, mais acessivelmente, para dar o start: o celular e pessoas com os mesmos interesses. Acima de 15 anos.

De 1 a 29: Oficina Solidária

De Elisa Faccin

Oficina realizada com alunos do 1º e 2º anos do ensino Fundamental da Rede Pública Municipal

Horário: de 3ª e 6ª das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h

“A gratidão de quem recebe um benefício é sempre menor que o prazer daquele que o faz”.

(Machado de Assis)

Através da brincadeira a criança exercita todas as suas potencialidades, desenvolvendo seu lado social, motor e cognitivo. Segundo Piaget, as crianças não raciocinam como adultos, sendo elas as próprias construtoras ativas do conhecimento, vivendo constantemente criando e testando suas teorias sobre o mundo. Brincando, a criança vai construindo sua identidade, se desenvolvendo e aprendendo. Através dos brinquedos e brincadeiras, a criança tem a oportunidade de se desenvolver integralmente, ou seja, fisicamente, mentalmente e emocionalmente, assim como na construção de sua identidade, relação e comunicação consigo mesma e com as outras crianças. (Vivian Freitas de Mello – pedagoga/psicoterapeuta e psicanalista)

O desenvolvimento desse projeto terá a participação de Elisa Faccin e Bira Toledo.

Serviço:

Centro de Convenções Aydil Bonachela

Rua das Primaveras, 210 – Jardim Pompeia

Horário: de 2ª a 6ª das 8h às 12h e das 13h às 17h

Museu da Água

Rua do Museu, 205 – Bairro Tombadouro

Horário: de 3ª a domingo das 9h às 16h.

Página 10 de 527« Primeira...89101112...203040...Última »