Notícias sobre Indaiatuba e Região com Kleber Patricio

SAAE Indaiatuba receberá cerca de R$3 milhões em recursos do Fehidro

Indaiatuba, por Kleber Patricio

Foto: Eliandro Figueira.

O Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Indaiatuba (SAAE) receberá R$2.957.127,97 em recursos através da Cobrança Paulista pelo Uso da Água (Fehidro). A verba será destinada à execução de dois projetos que visam diminuir as perdas de água tratada na rede de distribuição.  A contrapartida do SAAE será de R$768.864,32.

Um dos projetos é a implantação de estações remotas de medição e automação com transmissão de dados por telemetria via radiofrequência, que atenderá todas as estações de captação de água bruta. Para esse projeto serão destinados R$2.435.988,37, com contrapartida de R$534.729,16, totalizando R$2.978.757,53. O sistema irá interligar as captações ao CCO (Centro de Controle Operacional), que funciona na Estação de Tratamento de Água (ETA I) da Vila Avaí. Ele possibilitará o monitoramento e controle remoto das operações pertinentes ao sistema de captação de água bruta, permitindo melhor gerenciamento do sistema de abastecimento de água do SAAE e auxiliando, ainda, na otimização do Controle de Perdas.

O segundo projeto contemplado, visa à instalação de macromedidores e sensores de pressão nas saídas dos reservatórios e nas entradas dos Setores de Abastecimento e Distritos de Medição de Consumo. Para isso serão repassados R$521.139,60, com contrapartida do município no valor de R$234.135,16, totalizando R$755.274,76 mil. Será contemplada a macromedição de todo o sistema de distribuição de água do SAAE. O projeto visa à aquisição e instalação de 30 macromedidores e 30 (trinta) sensores de pressão para o sistema de abastecimento de água, para atender ao Plano de Diretor de Combate às Perdas de Água do município. Estes equipamentos, que também estarão interligados por telemetria ao CCO, proporcionarão informações precisas sobre os volumes de água distribuída, informações que, em conjunto com a melhoria da micromedição, serão utilizadas na pesquisa de perdas físicas e aparentes no sistema de abastecimento de água. “O CCO pode ser considerado hoje o cérebro do SAAE e poucos sistemas de abastecimento de água do País possuem um como o nosso”, enfatizou o superintendente Sandro Coral.